Quinta-feira
16 de Agosto de 2018 - 

Acompanhe seu procecsso.

Solicite sua senha através do e-mail: wendelleloy@gmail.com

Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,74 3,74
EURO 4,37 4,37
PESO (ARG) 0,15 0,15

Previsão do tempo

Domingo - Teresina, PI

Máx
35ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Segunda-feira - Teresina, ...

Máx
31ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Teresina, P...

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Orçamento dos Tribunais Federais para 2018 é de R$ 47,6 bilhões

Os órgãos do Poder Judiciário que integram a União contam neste ano com um orçamento de R$ 47,6 bilhões, maior que os R$ 45 bilhões em 2017, mas dentro dos limites de gastos determinados pela Emenda Constitucional 95. Orçamento do judiciário deste ano foi corrigido apenas pela variação IPCA, medido entre julho de 2016 e junho de 2017. FOTO: 123RFSob esse novo regime fiscal que impôs maior contenção na gestão das contas públicas, o orçamento do Poder Judiciário, e o dos demais poderes da União, foram reajustados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido entre julho de 2016 e junho de 2017, sem espaço para aumento maior das verbas.A composição do orçamento mostra o peso da despesa com pessoal. Do total, R$ 36,6 bilhões são destinados ao pagamento de funcionários, sendo o restante, R$ 11 bilhões, para as demais despesas.Esses são os recursos disponíveis para os tribunais da Justiça do Trabalho, da Justiça Eleitoral e da Justiça Federal, além do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Superior Tribunal Militar (STM), do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).O novo critério, de reajuste da despesa primária pela inflação, traz para o setor público uma realidade de austeridade considerando que o gasto passa a ter um limite. Para os tribunais, essa contenção tende a se tornar maior a partir de 2020, quando chega ao fim a permissão dada pela Emenda Constitucional 95 de compensação de limite pelo Poder Executivo ao Poder Judiciário, que viabilizou o reajuste dos seus servidores. Este ano, esse acréscimo é de R$ 1,7 bilhão.O impacto do fim dessa compensação recairá sobre os gastos que não são com o pagamento de pessoal. No CNJ, a avaliação é que o Judiciário tem se preparado para essa realidade de ajuste permanente das contas públicas, com vários tribunais renegociando contratos em geral a fim de reduzir custos. Um dos exemplos das ações em curso é a conclusão de obras e empreendimentos que precisam ser terminados antes de 2020.Se, por um lado, a Emenda Constitucional 95 fixou um teto para o aumento do gasto impondo restrições nas verbas, por outro, trouxe certa previsibilidade sobre o orçamento dos Poderes. Como a variação da despesa está vinculada à inflação e a previsão é de uma baixa variação dos preços, a tendência, para os tribunais, é de um orçamento em 2019 similar ao de 2018.A elaboração do orçamento do Poder Judiciário do próximo ano começa neste semestre a partir das definições contidas no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), que deverá ser apresentado pelo governo federal até meados de abril.
14/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  16647
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia